Turismo no Espírito Santo entra na rota das viagens nacionais

A Feira Estadual de Turismo Rural que foi realizada em Venda Nova do Imigrante – RuralturES, entre os dias 25 e 28 de novembro, foi um aperitivo para a descoberta do Espírito Santo para muita gente. O turismo rural acompanhado da experiência de conhecer a história, a maneira de viver, a gastronomia local e a cultura dos lugares, desponta como uma nova maneira de visitar e se apaixonar pelas cidades do estado.

Pensando nessa imersão de conhecimento de novos projetos, circuitos e oportunidades de “vender” o Espírito Santo para turistas de fora e dentro do estado, a ABAV ES, Associação Brasileira de Agências de Viagens, levou 35 pessoas de agências para participarem da Feira, a convite do Sebrae e do Governo do Estado, eles puderam apresentar um pouco do trabalho que fazem, mas também, ver os novos caminhos que a região Serrana está tomando.

“Além de representar as agências de viagens filiadas, a ABAV ES, tem como uma das atribuições fazer o desenvolvimento e fomento do turismo, seja ele regional, estadual ou nacional. Com base nisso, nós temos também cadeiras nos conselhos municipais de turismo, principalmente na região metropolitana e algumas cidades do interior, como Afonso Cláudio, que faz parte das Montanhas Capixabas. Estar em eventos assim é muito importante para o nosso negócio”, explicou Rodrigo Stange, Presidente da ABAV ES.

Novas parcerias​

Desde julho a ABAV e o grupo Águia Branca estão estreitando relações comerciais, através de um novo serviço da empresa. Uma reformulação no fretamento de ônibus e outras reformulações. Essa novidade é mais uma forma de impulsionar o turismo no estado, gerando emprego e renda para quem vive do setor.

“Eu acredito que exista uma normatização do novo turismo, as pessoas estão fazendo viagens nacionais, buscando alguns destinos novos e até mais perto. Com isso o Espírito Santo sai ganhando, um dos maiores mercados emissores vem do estado de São Paulo. Se avaliarmos o valor de um bilhete aéreo São Paulo x Nordeste, ele custa até três vezes mais caro do que ir para o Espírito Santo. O custo benefício do paulista ir para o Espírito Santo é melhor. Isso está sendo um chamariz, sobre esse turismo de interior, rural, o agro e principalmente, o turismo de experiência. Levamos os visitantes nas cervejarias produtoras, nas fazendas onde estão os cafés especiais que tem um novo nicho no ES, produtos que estão sendo desenvolvidos e bem aceitos pelos turistas”, afirma Rodrigo.

Rotas importantes

As ações integradas de diversas secretarias, instituições como Sebrae e Aderes, descortinam novas rotas como por exemplo: Vila Velha, Anchieta, Iriri e novos destinos, como é o caso de Itaúnas, no Norte do estado. “Já que a estrada asfaltada chegou em Itaúnas, as pessoas buscam muito a calmaria no vilarejo, vão em busca de ecoturismo, um lazer e algo mais calmo. Também é curioso falar da a reação das pessoas quando passam na BR 101 Norte e se deparam com o Grande Buda de Ibiraçu, na praça Torii. É um outro exemplo de turismo religioso bem novo, precisamos dar uma despertada também para novas rotas”, lembra Rodrigo.

Volta das viagens

O setor de turismo vem retomando a vida, seguindo todos os protocolos exigidos pela Vigilância Sanitária, além também dos decretos de cada município, o setor começa a receber mais visitantes que antes tinham receio de viajar. Os números mostram essas mudanças. De acordo com dados, quando se compara o ano de 2020 a 2019 é uma queda de 90% na comercialização de pacotes e de passagens aéreas. Mas quando a comparação é feita do ano de 2020 a 2021, existe uma recuperação de 75% do setor. Nichos como cruzeiros e viagens internacionais continuam em queda, segundo especialistas, isso acontece porque as pessoas acham ainda mais seguro viajar dentro do Brasil.

“As companhias aéreas estão com 75% da malha normalizada, vai aumentar de acordo com o fluxo, mas até o decorrer do ano de 2022 vamos ter a normalização da malha aérea, o que torna os preços mais competitivos. Infelizmente o dólar não ajuda com alta do valor, isso facilita as vendas nacionais e as novas descobertas no país”, finaliza o Presidente da ABAV ES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.