Fim dos lixões no entorno do Caparaó Mineiro avança

Municípios do CIS-Caparaó conhecem empresa de tratamento de resíduos

Na busca pelo fim dos lixões, prefeitos e outros representantes de dez municípios mineiros, componentes do Consórcio Intermunicipal Multissetorial da Região do Entorno do Caparaó (CIS-Caparaó) visitaram a sede da empresa Marca Ambiental (vencedora da licitação de destinação final de resíduos sólidos) em Cariacica – ES.

De acordo com a assessoria de Imprensa do CIS-Caparaó a Marca é uma empresa pioneira e a maior do Espírito Santo em soluções completas para resíduos. “Desde 1995 é referência em inovação, tecnologia, qualidade e respeito ao meio ambiente. Ela atua no gerenciamento integrado de resíduos para os setores de saneamento urbano, industrial, saúde, mineração, construção civil, portos, aeroportos, petróleo e gás, alimentos, entre outros”.
Durante a visita, o supervisor Daniel Carazza, apresentou toda a estrutura da empresa e mostrou como é o processamento dos resíduos sólidos.

O primeiro aterro sanitário privado do Espírito Santo é referência em gestão de resíduos sólidos no estado capixaba e no país. “A Marca Ambiental é especializada em multitecnologias para gerenciamento integrado de resíduos. Foi agraciada com vários prêmios, especialmente devido às suas práticas socioambientais inovadoras e sustentáveis”, destaca.

ANÚNCIO

Com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que prevê a extinção de lixões no país, prefeituras e empresas têm de encaminhar adequadamente seus resíduos para empreendimentos especializados e devidamente licenciados para atuar no ramo de destinação e tratamento de resíduos sólidos.

O CIS-Caparaó promoveu uma licitação no ano passado e a empresa foi a vencedora. Agora, municípios consorciados estão aderindo e solucionando o problema dos seus lixões à céu aberto.

Na região, algumas cidades já iniciaram o envio dos resíduos sólidos para a Marca Ambiental, que faz o gerenciamento de resíduos sólidos e os serviços prestados de coleta, transporte, tratamentos e destinação final de resíduos. O aterro sanitário da empresa foi o primeiro do setor privado no estado capixaba.

Ao entrar e circular na área 2,5 milhões de m², ocupada pelo empreendimento, não se sente o mau cheiro típico de lixões e aterros sanitários.

“Tudo é muito bem cuidado, inovador e sustentável. Há espaços reflorestados, jardins. A área administrativa, galpões, restaurante para funcionários, auditório, entre outros, são construções bem projetadas e bonitas.

O solo das células, onde são enterrados os resíduos, é impermeabilizado e dutos são colocados para drenar o chorume, proveniente da decomposição dos materiais de forma a não contaminar os lençóis freáticos. O chorume é conduzido pelos dutos até lagoas de decantação e, depois, é reaproveitado como adubo no próprio aterro. Quando repletas, as células são fechadas com terra e mudas de plantas nativas, gerando cobertura vegetal sobre elas. O biogás é captado e transformado em energia”, informou em um comunicado a assessoria de imprensa do Consórcio.

O CIS Caparaó – abrange hoje a 15 municípios, sendo estes Chalé, Conceição de Ipanema, Durandé, Ipanema, Lajinha, Luisburgo, Martins Soares, Mutum, Pocrane, Reduto, Santana do Manhuaçu, São João do Manhuaçu, São José do Mantimento, Simonésia e Taparuba, atendendo às demandas da área de Saúde, disponibilizando consultas e procedimentos de média e alta complexidade, atuando também na área do transporte de pacientes através do SETS (Sistema Estadual de Transporte em Saúde) e gerenciando a manutenção do parque de iluminação pública dos municípios.

ANÚNCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS