Parque Nacional do Caparaó reabre acesso capixaba

Um convite aos sentidos, ao cheiro de terra, ao som dos pássaros, o sabor das águas e a energia inexplicável do Caparaó. O sentir, essa capacidade de percepção mais aguçada será o grande ingrediente para quem pisar novamente no Parque Nacional do Caparaó, na portaria capixaba. Depois de mais de um ano, o PARNA volta abrir para o público, neste sábado (13), desta vez, os carros vão ficar na portaria e o caminho, restrito até a Macieira será feito a pé. Um novo olhar, principalmente para quem já trilhou esses trajetos.

Segundo do administrador do PARNA, Fábio Vellozo, do IcmBio, os acampamentos não irão funcionar, apenas duas cachoeiras estão liberadas: Pilões e Aurélio. Nada de trilhas após o acesso da Macieira, as visitas aos Picos estão proibidas, principalmente ao mais alto, o da Bandeira. Esses acessos foram liberados apenas para caminhantes, porque de carro, ainda é preciso ter parecer da engenharia para recuperar.

Para comemorar essa data, os “Amigos do Parque”, um grupo de voluntários que vem trabalhando há meses na reconstrução da área, criou o “Dia da Reconexão” que é para receber os visitantes, orientar sobre as novas normativas, contar a história do Caparaó e descortinar essa nova forma de apreciar a portaria capixaba.

“Vamos ter os voluntários distribuindo alguma coisa para os visitantes comerem, guias vão auxiliar os caminhantes. Pessoas que estão inteiradas com a situação do Parque e podem contar a história, mais que isso, queremos que as pessoas aproveitem essa experiência de reconectar, principalmente durante uma pandemia”, conta a voluntária Cecília Nacau.

“O Dia da Reconexão deverá durar o sábado todo, sem hora marcada e livre para festejar, seguindo os protocolos sanitários impostos pela pandemia da Covid 19. Queremos que todos tenham um reencontro com a nossa Unidade de Conservação” complementa Fábio, Chefe do PARNA.

Parque Nacional do Caparaó
Antes e depois

No dia 20 de janeiro de 2020, uma tempestade provocou inúmeros estragos no Parque Nacional do Caparaó, o lado capixaba foi o mais atingido. Estradas acabaram, pontes e a água tomou conta de quase tudo. De lá pra cá, várias ações feitas por voluntários e pela administração do Parque tentaram amenizar os prejuízos, mas a pandemia atrasou um pouco as melhorias e a falta de recursos também foi outro entrave. O restabelecimento não foi por completo, porque existe muita coisa ainda para ser feita.

“Estamos pensando em fazer um álbum para o turista ter uma noção como os acessos estavam, vamos também mostrar os trabalhos ao longo desses meses e as conquistas de agora. Para muita gente vai ser literalmente um dia de reencontro”, finaliza Cecília.

Parque Nacional do Caparaó
Parque Nacional do Caparaó
Leia também:

https://rotaverde.com.br/noticias/voluntarios-se-unem-e-fazem-mais-um-mutirao-no-parna/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.