O maior plantador de “água” do Espírito Santo

“Morador de Santa Teresa, o ambientalista é tão apaixonado no que faz, que consegue mobilizar centenas de pessoas nos replantios”

O Dia Mundial da Água é comemorado nesta terça-feira (22) e o Rota Verde te conta uma história inspiradora de preservação da natureza, que começou ainda na década de 80. Um olhar que se apaixona a cada dia por tudo que planta. Tem sido assim há décadas na vida de Nilton Broseghini, que entendeu que sua missão na região Serrana do Espírito Santo era plantar água.

Os primeiros plantios foram se tornando centenas e milhares de árvores ao longo de mais de 30 anos de reflorestamentos. Uma corrente de conscientização se formou no pequeno município de Santa Teresa, unindo voluntários desde as coletas de sementes até o plantio das árvores.

Ele não admite, mas Nilton virou referência no estado quando o assunto é recuperação de áreas, o que começou como um passatempo foi tomando proporções e muitas responsabilidades. “Minha história começou na década de 80, quando eu me formei em edificações aqui mesmo em Santa Teresa, nesta época, já plantava árvores com os amigos. Morei 10 anos em Vitória, abandonei um emprego na extinta CST para plantar água”, explica Nilton.

O bom exemplo é contagiante na cidade, tanto que ele já envolveu mais de vinte mil pessoas nesse projeto. Famílias se mobilizam, escolas e outras instituições para que também promovam mutirões de plantio. No início, ele acabava se oferecendo para ir até as propriedades, mas hoje, são os agricultores que pedem ajuda para orientação na recuperação de espaços nas propriedades. Ele também teve participação ativa na criação de várias Reservas Privadas de Patrimônio Natural (RPPNs) e unidades de conservação.

“Não faltam áreas para serem reflorestadas e os pedidos também são muitos, temos muito o que fazer para coibir esses desmatamentos no município. O reflorestamento anda lado a lado com a conservação. O foco sempre foi a recuperação de nascentes com espécies da Mata Atlântica.”, explica o ambientalista.

Reflorestamento de uma área degradada com a participação dos alunos e professores da Escola Professor Hermann Berger. Santa Maria de Jetibá - ES, em 08/08/12

São muitos os processos no trabalho de Nilton, ele coleta as sementes, identifica, faz todo o beneficiamento e depois, as mudas seguem para o viveiro. Lá são produzidas de 20 a 25 mil mudas de espécies nativas. “São todas coletadas com muito cuidado e cautela, para não colocar plantas invasoras da Mata Atlântica e prejudicar o ecossistema”, afirma.

O exemplo de Nilton precisa ser seguido, admirado e deve ser colocado em prática em outros lugares. Não são apenas mudas de árvores das florestas, mas a doação acontece com árvores frutíferas também. “A gente deve plantar árvores, além de plantar, reflorestar, as pessoas querem mudas. Importante essa união para transformar a região”, finaliza Nilton.

Sobre a data:
O Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, foi criado em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e visa a ampliação da discussão sobre esse recurso natural, fundamental para a sobrevivência do planeta e cada vez mais escasso.

ANÚNCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS