DER prevê entregar obras no Parque da Cachoeira da Fumaça em um ano e meio

“Entre as intervenções previstas na área de visitação em Alegre estão as construções de auditório, biblioteca, lanchonete e alojamento”

Um dos parques estaduais mais importantes do Espírito Santo, a área da Cachoeira da Fumaça, em Alegre, na Região do Caparaó, contará com uma nova estrutura para os visitantes em até um ano e meio. Este é o prazo previsto para que o Governo do Estado conclua uma série de obras no local.

De acordo com o Departamento de Edificações e de Rodovias (DER-ES), o “resultado do processo licitatório para a reforma e ampliação da sede do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça foi publicado no Diário Oficial no dia 10 deste mês. O Governo vai investir R$ 3.727.240,83 e o prazo de execução é de 540 dias”.

Como já mostrado pelo Rota Verde, a assinatura da Ordem de Serviço aconteceu, no último dia 21, durante o Seminário Capixaba de Mudanças Climáticas e Recursos Hídricos, que contou com a participação do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema).

O parque possui um Centro de Visitantes e Administrativo que será reformado. Segundo o DER, serão construídos sanitários públicos acessíveis devidamente dimensionados para os frequentadores do local, inclusive com chuveiro.

No projeto, também estão previstas intervenções em um centro de pesquisa com alojamentos e laboratório, e uma edificação onde ficarão concentrados auditório, biblioteca, lanchonete e um espaço comercial para produtos relacionados à área de proteção ambiental. Atualmente, o parque não possui lanchonete e restaurante.

Além disso, de acordo com o DER, a área do parque receberá “nova urbanização, calçamento e paisagismo possibilitando a acessibilidade plena entre estas edificações, com ampliação do estacionamento, permitindo assim maior conforto para os visitantes”.

As áreas atuais de piquenique na frente da Cachoeira receberão novo mobiliário em madeira, conforme definido no projeto.

“Após as obras de reforma e ampliação do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça, as novas instalações contarão com auditório para 80 pessoas (…) O alojamento será para atendimento a pesquisadores; voluntários; plantonistas; equipes de fiscalização e de combate a incêndio, conforme necessidade; e outros usos visando apoio a serviços de conservação”, detalhou o Iema em nota.

O órgão também informou que serão reformados o escritório e a guarita.

“O parque ofertará serviços e atividades educacionais e culturais; ampliará o envolvimento com o público externo e comunidade do entorno; trazendo mais opções de uso e lazer”, completou a nota do Iema.

Foto: Andresa Alcoforado
Foto: Andresa Alcoforado
Foto: Andresa Alcoforado
Cartão postal do Caparaó capixaba

O nome do parque é uma referência à presença da exuberante cachoeira de 144 metros de altura, considerada a maior do Espírito Santo com água perene. Devido ao seu volume e força, a queda d’água do Rio Braço Norte ao se chocar contra as rochas, forma uma nuvem de gotículas que mais parece uma nuvem de “fumaça”.

O cenário é considerado o ideal para contemplação, fotografias e “banho de neblina” (provocado pelas gotículas de água em suspensão). Poços para banho são raros devido a ocorrência de forte corredeira no rio.

O parque não se restringe à Cachoeira da Fumaça. Destaque também para o mirante, que fica localizado na estrada de acesso ao Parque, na ES-484, próximo ao portal de madeira.

Do alto é possível avistar a Cachoeira da Fumaça e suas encostas com conservada vegetação. O circuito de trilhas possibilita diferentes acessos até ao rio em meio a um jardim natural irrigado pela Cachoeira da Fumaça. Nem todas estão abertas ao público por falta de manutenção.

Mais do que um espaço ao turismo, o parque é uma área de proteção de nascentes e remanescentes florestais de Mata Atlântica, parte da bacia hidrográfica do rio Braço Norte Direito, um dos principais afluentes do rio Itapemirim. Na fauna, são conhecidas 30 espécies de mamíferos não voadores, como a lontra, gato do mato pequeno, jaguatirica, paca, tatu, cachorro do mato, entre outros.

O grande território que compõe a área de preservação ambiental, entre os municípios de Alegre e Ibitirama, foi desapropriado em 1984, mas só em 2009 o parque foi instituído.

No entorno estão pequenas comunidades rurais, que possuem como base econômica a produção agropecuária, sendo o turismo uma alternativa complementar de renda.

ANÚNCIO
Serviços

-Endereço: Rodovia ES-484, Distrito de Araraí, Alegre-ES

– Atendimento administrativo: De segunda a sexta de 08h às 17h.

– Telefones: (28) 99999-0639 / (28) 99961-5445

-E-mail: pecf@iema.es.gov.br

– Visitação gratuita

– Não é necessário agendamento

*As regras de funcionamento do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça variam a cada semana, de acordo com o Mapa de Gestão de Risco da Covid-19.

Para informações atualizadas acesse https://iema.es.gov.br/PECF

Foto: Terence J. Nascentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS