Árvores recebem identificação cientifica na Uenf

“O projeto tem estimulado professores, alunos e até a comunidade a listarem árvores do dia a dia”

Elas estão espalhadas pelo campus da Universidade Estadual do Norte Fluminense, no Parque Califórnia, em Campos. As árvores deixam o espaço mais bonito, mas alguns meses elas também servem de informação científica para quem passa pelo local. Os bosques da Uenf são bem visitados não só pelos estudantes, mas pela comunidade em geral já que de tão bonitos, viram cenários perfeitos para fotos independentes se estão com flores ou não. Até agora 60 espécies já foram catalogadas, com ajuda da internet, quem não visita a Universidade, também acompanha tudo pelas redes sociais.

Quem coordena e orienta os alunos no projeto é a professora Deborah Guerra Barroso, do setor de Silvicultura (LFIT/CCTA), a ideia principal foi chamar atenção das pessoas para o papel das árvores no dia a dia. “É comum ver grupos de formandos, gestantes, famílias, utilizando os bosques da UENF como cenário para seus momentos especiais. Achamos interessante passar algumas informações sobre essas espécies, suas curiosidades, mostrar fotos das diferentes fases e contar sobre projetos desenvolvidos na UENF com algumas dessas espécies”, explica a professora.

O município de Campos está localizado no Norte do estado do Rio de Janeiro, o clima é quente demais na planície, e faz calor praticamente o ano inteiro, a cobertura vegetal na cidade é fundamental para amenizar a temperatura. “Vivemos em uma região quente e a presença de árvores é fundamental. Muitas vezes passamos ao lado delas e não damos a atenção merecida, nem sempre estão com flores, mas estão ali, contribuindo de forma silenciosa com nosso conforto, preservando aspectos importantes de nossa saúde física e mental”, destaca a professora, que acredita ainda que as informações têm um papel importante para ajudar na preservação e em novos plantios.

Árvores da UENF

As espécies que foram catalogadas, cerca de 60, estão no campus Leonel Brizola, Casa de Cultura Vila Maria, campus de Macaé e também no Solar dos Jesuítas, em Tocos. Os alunos alimentam o site sempre, com imagens novas e também informações, para saciar a curiosidade das pessoas. As notícias têm sido bem recebidas, já que os seguidores tem mostrado interesse e acabam contribuindo para o projeto com fotos, vídeos e até poemas.

“Quando a ideia surgiu, buscamos algumas referências e vimos a iniciativa dos códigos bidimensionais no Bosque dos Jequitibás, em Campinas, em São Paulo. Certamente há em outros locais. No ano passado, o Prof. Eliemar Campostrini nos pediu para fazer identificações no Yacht Clube Lagoa de Cima. No ano de 2003, ele e nossa equipe realizaram o plantio de diversas árvores por lá. Algumas espécies são comuns às dos nossos campus, outras não, mas estão sendo inseridas em nossa lista. Acho que será ótimo ampliar para outras áreas”, finaliza Deborah.

Acompanhe o projeto no instagram: @arvoresdauenf

Nome popular: chuva de ouro Cassia fístula L sp. Família: Fabaceae. ✅ http://uenf.br/projetos/arvoresdauenf/especie-2/chuva-de-ouro/

3 respostas para “Árvores recebem identificação científica na Uenf”

  1. Sou ex-servidor e ex-aluno da UENF. Enquanto servidor, vi essas árvores crescerem. Hoje, utilizo o espaço super agradável da UENF para realizar atividade física de corrida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.