Parque Estadual do Desengano oficializa título de 1º Dark Sky Park da América Latina

Sede da unidade de conservação em Santa Maria Madalena contou com programação comemorativa

O Parque Estadual do Desengano, no interior do estado do Rio de Janeiro, contou com uma rica programação de atividades noturnas para comemorar a oficialização do título de International Dark Sky Park.

A unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), promoveu em Santa Maria Madalena uma cerimônia especial para a instalação da placa de sinalização só primeiro Dark Sky Park da América Latina.

O mérito de parque do céu escuro, concedido pela International Dark-Sky Association (IDA), atesta a qualidade excepcional da observação de céus estrelados do território, além de reconhecer os esforços da unidade na proteção do ambiente noturno.

No fim do mês de abril, o parque convidou a população para uma trilha noturna pelo território da sede. Já no encerramento da Dark Sky Park Week, a comunidade teve acesso a telescópios disponibilizados pelo parque em parceria com o Clube de Astronomia Louis Cruls, de Campos dos Goytacazes, para a observação dos astros.

Com uma noite perfeita para contemplar o céu, ao menos 150 pessoas estiveram presentes.
“O Parque Estadual do Desengano realiza, há mais de 50 anos, um trabalho de excelência no que diz respeito à preservação dos nossos patrimônios naturais. Dessa forma, tanto o título concedido pela International Dark-Sky Association, quanto os demais que o parque coleciona, são somente resultado de uma equipe altamente qualificada e dedicada”, destacou o presidente do Inea, Philipe Campello, que esteve presente na última noite do evento.

ANÚNCIO

Além da placa, o parque também fez uso da ocasião para inaugurar um novo sistema de iluminação que respeitasse as especificações técnicas da International Dark-Sky Association. Foram instaladas novas lâmpadas e alterado o direcionamento das luzes para que não fossem direcionadas para o céu.

O Parque Estadual do Desengano contará com visitas noturnas regulares, que serão divulgadas nas redes sociais do parque e do Inea. Para Carlos Dario, gestor do parque, a noite no parque funciona como uma espécie de viagem temporal. “Fazemos um salto no tempo, pois podemos observar hoje o mesmo céu que nossos antepassados mais remotos também tiveram acesso”, apontou. Além disso, o título expande o cenário de contemplação dos visitantes. “Agora além de olhar a fauna e flora protegidas pelo parque, todos poderão olhar o que está acima dele. No Desengano nem o céu é o limite”, concluiu com orgulho o servidor.

Sobre o parque

Com 21.365,82 hectares, o Parque Estadual do Desengano abrange parte dos municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Dentro de seus limites, estão protegidas a fauna, a flora e os ecossistemas, garantindo a preservação dos recursos naturais.

Trata-se do conjunto de serras mais bem conservadas da região, de uma densa vegetação e rica biodiversidade, possibilitando atividades tais como pesquisa científica e educação ambiental. No local, já foram identificadas por volta de 167 espécies de aves, muitas destas ameaçadas de extinção, como a jacutinga (Pipile jacutinga) e o macuco (Tinamus solitarius). Além disso, já foi avistado na unidade o muriqui (Brachyteles arachnoides), maior primata da América Latina e símbolo do parque.

ANÚNCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS