Inea reconhece 104º Reserva Particular do Patrimônio Natural e lança programa de observação astronômica no RJ

Parque Estadual do Desengano sediou cerimônia no Norte Fluminense

O Rio de Janeiro já conta com a 104ª Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) criada no estado. A unidade foi certificada no município de Santa Maria Madalena, no Norte Fluminense. A cerimônia de reconhecimento aconteceu no Parque Estadual do Desengano, onde aconteceu também o lançamento do primeiro programa de observação astronômica em unidades de conservação do Brasil, o Vem Ver o Céu.

“Hoje o Norte Fluminense dá grandes passos em direção ao desenvolvimento sustentável. Tanto a certificação de mais uma Reserva Particular do Patrimônio Ambiental, quanto o lançamento do programa, contribuem para o alcance do nosso objetivo principal: a conservação dos patrimônios ambientais fluminenses”, celebrou o presidente do Inea, Philipe Campello.

A RPPN Fazenda Boa Fé é a 104ª reconhecida pelo instituto e conta com 18,23 hectares. Sua certificação faz parte dos resultados produzidos pela Fase V do Programa Estadual de Apoio às RPPNs do RJ, que utiliza recursos do Fundo da Mata Atlântica oriundos de compensação ambiental para fornecer suporte técnico e orientação aos proprietários interessados.

A Fazenda Boa Fé integra hoje os 8.524 hectares de Mata Atlântica protegidos por RPPNs no Estado, equivalente a oito mil campos de futebol.

A noite do último dia 23 contou ainda com o lançamento do Programa Estadual de Observação Astronômica do Estado do Rio de Janeiro, o Vem Ver o Céu. Coordenado pela Diretoria de Biodiversidade, Áreas Protegidas e Ecossistemas (Dirbape) do Inea, a iniciativa tem como objetivo sensibilizar os visitantes quanto à poluição luminosa, subsidiar pesquisas científicas, estimular a astrofotografia e promover a educação ambiental da comunidade.

A partir do programa, as unidades de conservação administradas pelo instituto e as RPPNs contarão com um calendário de atividades educativas e de observação astronômica recorrentes, além da produção de conhecimento técnico-científico sobre o tema.

Com o apoio da equipe do Parque Estadual da Serra da Tiririca e de astrônomos do Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a cerimônia de lançamento contou com atividades de astrofotografia e observação do céu com telescópios para o público presente.

O Parque Estadual do Desengano faz jus à escolha de estreia do programa. O parque é o primeiro da América Latina a receber o título de Dark Sky Park pelo International Dark-Sky Association (IDA). O reconhecimento diz respeito à qualidade excepcional de observação de noites estreladas e atesta a proteção do ambiente noturno na região.

ANÚNCIO

Sobre a unidade de conservação

Com 21.365,82 hectares, o Parque Estadual do Desengano é o parque estadual mais antigo do Estado do Rio de Janeiro e abrange parte dos municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Dentro de seus limites, estão protegidas a fauna, a flora e os ecossistemas, garantindo a preservação dos recursos naturais.

ANÚNCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS