Equipe do IFFluminense vence competição de barcos movidos a energia solar

Desafio envolveu embarcações de várias partes do Brasil e estudantes de SJB e Cabo Frio conquistaram 1° lugar

Barcos movidos a energia solar montados por estudantes do interior do Rio de Janeiro foram os destaques do Desafio Solar Brasil. Formada por alunos dos Campus do Instituto Federal Fluminense de Cabo Frio e São João da Barra, a equipe Solaris ficou em primeiro lugar.

O objetivo da competição que aconteceu em Niterói, no mês passado, é promover o desenvolvimento da ciência e incentivar o desenvolvimento de tecnologias que utilizem fontes limpas de energia.

A equipe Solaris disputou uma competição cheia de emoções. Mesmo sem um motor moderno, o barco manteve constância e regularidade durante as seis provas e foi a única equipe, dentre as 14 participantes de diferentes regiões do país, que completou todas as provas sem nenhum problema técnico, além de ser o barco mais eficiente e com maior distância percorrida: 33.1 milhas. Devido a isso, os estudantes elegeram o lema: “devagar e sempre” para focar na vitória ao final da competição.

Para ganhar a competição, que foi realizada no mês passado, na enseada de São Francisco, no município de Niterói, foi necessário alcançar a maior pontuação durante todas as provas. A Solaris somou 3.900 pontos, contra os 3.770 do segundo lugar, da equipe Arariboia da Universidade Federal Fluminense (UFF), e 3.700 da equipe Sete Capitães, também do IFFluminense, composta por estudantes do Campus Campos Centro, que participou pela primeira vez, obtendo um resultado memorável.

Além do campeonato, a equipe também conquistou o Prêmio de Inovação Tecnológica “Fernando Amorim”, devido ao desenvolvimento de um sistema de telemetria criado pelos alunos Helmuth Dias, do curso técnico em Cozinha, e Saulo de Társio, do curso de Engenharia Mecânica, ambos do IFF Campus Cabo Frio. Com câmeras instaladas no barco, o sistema permitia acompanhar em tempo real os parâmetros do barco e tomar decisões estratégicas durante as provas.

Para Mateus Reynaldo, estudante de engenharia e integrante da equipe, o maior aprendizado da competição foi perceber o potencial dos estudantes e da Instituição. “Mesmo com todas as limitações conquistamos um título de âmbito nacional. Temos certeza de que, com um maior incentivo, vamos conquistar muito mais. Toda nossa união e larga experiência no evento contribuíram para o título”, ressalta.

Para o professor e orientador dos alunos do Campus Cabo Frio, Marlon Oliveira, a conquista foi graças à experiência da equipe, visto que os integrantes já participaram de outras competições do DSB. “No entanto, o principal fator que trouxe esta conquista foi a coesão da equipe, proporcionando experiências e desenvolvimentos tecnológicos e profissionais para todos os integrantes”, explica Marlon.

Já Pedro Henrique Dias de Araújo, também professor e orientador do Campus São João da Barra, ressalta que, para além da competição, os estudantes são estimulados a buscarem novos conhecimentos, a exercitarem a autonomia e criatividade. “O projeto se apresenta como uma oportunidade para práticas interdisciplinares e transversais, criando um espaço de aprendizado fora da sala de aula, mais próxima com a realidade do mercado e do aluno”, destaca.

A equipe multicampi reuniu servidores e alunos dos Campi Cabo Frio, São João da Barra e Polo de Inovação, que trabalharam integrados nas áreas dos Cursos Técnicos de Construção Naval e Eletromecânica, e o bacharelado em Engenharia Mecânica. Mateus Reynaldo, Leonardo Félix, Davi Portela, Welfer Marques, Helmuth Dias, Saulo de Társio, Thiago Luiz, Maria Eduarda Almeida, Gabriel Rodrigues, Onix Pedra, Guilherme Sales, Liniki Meireles, Livia Azeredo, Diego Oliveira, Luiz Felipe Ramos, Leonardo Félix e Davi Goulart são os estudantes integrantes da equipe campeã, coordenados pelos professores Marlon Oliveira (Campus Cabo Frio), Pedro Henrique Dias de Araújo (Campus São João da Barra), e o servidor Charles Gava, do Polo de Inovação.

Para mais informações, siga-nos no instagram do Campus Cabo Frio e da Equipe Solaris.

ANÚNCIO

Dobradinha para o IFFluminense

A Equipe Sete Capitães conquistou o terceiro lugar no DSB 2022. Formada por 17 estudantes das Engenharias de Automação e Controle, Elétrica, Mecânica e Arquitetura e Urbanismo do IFF Campus Campos Centro, o grupo precisou superar obstáculos com o barco “Gigante Vermelho” para subir ao pódio da competição.

Capitão da Equipe Sete Capitães, o aluno de Engenharia Elétrica Thiago Baltazar contou que, no primeiro dia de competição, os integrantes precisaram rever a estratégia. “Nosso barco, que estava ancorado, acabou se soltando e indo em direção à costa, onde teve todo convés da popa aberto. Trabalhamos durante toda a noite e estávamos prontos para competir na prova do outro dia”, disse.

Já no segundo dia do DSB 2022, outro obstáculo fez a equipe pensar em alternativas. “Tivemos um problema de geração de energia e ficamos com um carregamento muito baixo das baterias durante a prova. Fizemos uma administração muito eficiente dos recursos energéticos e conquistamos o segundo lugar nessa prova. A equipe teve um desempenho surpreendente. Construímos nosso barco em três meses e fomos direto para a competição, sem nunca ter colocado nosso barco na água”, detalha. O barco Gigante Vermelho percorreu 29,4 milhas de distância durante o desafio.

O evento

O Desafio Solar Brasil é uma realização do Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social (Nides) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em conjunto com o Laboratório de Fontes Alternativas de Energia (Lafae), também da UFRJ, e a Engenharia Mecânica da UFRJ/Macaé.

ANÚNCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ANÚNCIOS