Pesquisar
Foto do Hotel de Abelhas, empreendimento sustentável

Hotel de Abelhas Solitárias é novo ponto turístico de Visconde de Mauá

Empreendimento sustentável está na sede do Parque Estadual da Pedra Selada, administrado pelo Instituto Estadual do Ambiente

Compartilhe:

Um hotel bom para… abelhas! O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) mantém, em Visconde de Mauá, no Sudoeste Fluminense, um “Hotel de Abelhas Solitárias”. A “hospedaria” de trânsito, que fica no Parque Estadual da Pedra Selada (PEPS), abriga espécies sem ferrão que não vivem em comunidade, não produzem mel e têm vida curta. Os indivíduos que passam por ali são fundamentais na polinização de diversas frutíferas, com destaque para o maracujá e a acerola. Um exemplo de empreendimento sustentável.

A equipe de guarda-parques e jardinagem do local construiu o hotel em 2021, utilizando diversos materiais sustentáveis como bambus, madeira bruta, troncos de árvores, folhas secas e cascas de árvores, recursos que têm por objetivo simular os ambientes que os insetos utilizam para nidificar na natureza. Dentre as espécies observadas no local estão a Tetrapedia sp, a Pseudaugochlora sp e a Xylocopa sp. Além das abelhas, diversos outros utilizam o hotel, como vespas, formigas e aranhas. Atualmente há mais de 70 orifícios, ou “quartos”, sendo ocupados ou que já foram usados como ninhos.

Segundo a equipe do parque, cerca de 2.700 pessoas já visitaram a iniciativa, dentre estudantes e turistas nacionais e internacionais. “Nosso principal objetivo é informar os visitantes e alunos das escolas sobre a diversidade de nossas abelhas, temos mais de 300 espécies catalogadas no Brasil, sendo 85% delas, abelhas solitárias. Além disso, queremos destacar a importância das abelhas nativas na conservação da nossa biodiversidade”, explica o vice-governador e secretário de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.

O Hotel de Abelhas conta com dois anexos ao lado, duas colmeias de abelhas que vivem em coletividade e produzem mel. A Jataí (Tetragonisca angustula), por exemplo, produz cerca de 1 litro de mel por ano, que na região pode ser comercializado entre R$ 800 e 1000, por ser mais raro e considerado um poderoso antibiótico natural, usado para amenizar os sintomas de gripe por conter enzimas, leveduras e própolis em sua composição natural. Já a Mirim (Plebeia droryana), é também conhecida como “mosquito” e conta com ampla distribuição pelo Brasil.

As abelhas têm um importante papel no equilíbrio natural, pois polinizam as flores, que são fecundadas e geram sementes e frutos que alimentam as diversas espécies da fauna. Ao se alimentarem desses frutos, alguns animais dispersam sementes, auxiliando no reflorestamento e na produção de alimentos. Apesar da grande importância, esses animais estão ameaçados pelos diversos impactos negativos causados pela ação humana.

Sobre a unidade de conservação

Com aproximadamente oito mil hectares, o Parque Estadual da Pedra Selada abrange partes dos municípios de Resende e Itatiaia e também uma região do Médio Vale do Paraíba do Sul fluminense da Serra da Mantiqueira. Tem como principal atrativo turístico o pico da Pedra Selada, com 1.755 metros de altitude, de onde é possível ter uma visão de 360 graus do Vale do Paraíba e da Serra da Mantiqueira, incluindo o Pico das Agulhas Negras além de uma bela vista do Rio Preto que faz a divisa entre os Estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.
Fonte: Assessoria Inea

Mais empreendimento sustentável

Siga o Rota
Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *