Pesquisar

Estação Ecológica Estadual de Guanxindiba protege o Norte Fluminense

Compartilhe:

Imagine uma floresta no meio do sertão de São Francisco de Itabapoana, no Norte do estado do Rio de Janeiro. Pouca gente conhece, mas existe uma Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba, na localidade de Cobiça. Um espaço dedicado a educação ambiental e a pesquisa científica. É o sistema de Parque mais fechado, apenas para visitas de escola e pesquisas, mas a importância para a preservação é incacuável.

A Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba é uma área de proteção integral. São 3.260 hectares, a unidade foi criada em 30 de dezembro de 2002. A floresta é o maior remanescente continuo de mata semidecidual do estado do Rio de Janeiro. Também conhecida como ” Mata de tabuleiro”. Esse é um dos ecossistemas mais ameaçados da Mata Atlântica . A estação inclui os brejos que ficam em volta da mata. O que garante água para toda essa região, já que faz a proteção dos reservatórios que ficam no subsolo. Sem falar que com a mata de volta, os animais também retornam.

Para entender essa história basta voltarmos um pouco no tempo, a floresta era chamada de “Mata do Carvão”, a madeira era retirada sem nenhuma fiscalização para abastecer as carvoarias da região. Depois o demasmatamento só foi avançando com a retirada de madeiras nobres, o que era mata foi virando pasto e lavoura de cana-de-açúcar. Até mudar a mentalidade das pessoas foi um longo trabalho.

Se a busca sempre foi pela sustentabilidade, o aprendizado sobre educação ambiental começa na sede da unidade da unidade. Cada detalhe foi feito para mostrar que as mudanças são necessárias e podem ser replicadas na casa das pessoas. O projeto arquitetônico prioriza ventilação e a iluminação natural. Tem telhado verde, tijolos ecológicos, painel solares nos postes e refletores. O reuso de água de chuva também foi pensado, as calhas coletam e a água é usada nos banheiros da estação. Parece um lago para compor o paisagismo, ficou lindo, mas na verdade acontece aqui o tratamento do esgoto que é reaproveitado gerando biogás. Os apetrechos de caça ilegal, as ferramentas usadas para o desmatamento ganharam uma exposição fixa, para que os visitantes nunca esqueçam que a ambição pode destruir. Gaiolas aqui, só se for para serem usadas como enfeites.

Acompanhe a matéria completa no Rota Verde:

Agende para sua escola fazer a visita:

Endereço: Estrada da Cobiça, s/nº – São Francisco de Itabapoana – RJ. CEP: 28230-000.

Como chegar:

Localiza-se a 45 km de Campos dos Goytacazes e a 340 km da cidade do Rio de Janeiro. A partir do Rio de Janeiro o acesso é feito através da Ponte Rio-Niterói, da BR-101 e da RJ-224 até São Francisco de Itabapoana. Desta, utiliza-se a RJ-224 para acesso oeste e as RJ-232/RJ-196 para acesso leste. A partir do centro do município de São Francisco de Itabapoana, o acesso à sede se faz pela RJ-224 em direção norte, por 12,6 km até a Estrada da Cobiça, não pavimentada, e mais 3,5 km pela própria Estrada da Cobiça. Não há transporte coletivo regular para as imediações da sede da EEEG.

Horário de funcionamento (administrativo): Segunda a sexta, de 8 às 17h.

Gestora: Vânia Maria Coelho da Silva.

Telefone: (22) 99953-5238

Endereço eletrônico: vaniacoelhoief@yahoo.com.br

Siga o Rota
Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *