Projeto “Óleo Legal” ampliado em SFI

Projeto “Óleo Legal” ampliado em SFI

Além da conscientização ambiental, pessoa que fizer o descarte correto recebe detergente em troca

Com o objetivo de expandir o projeto “Óleo Legal”, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Francisco de Itabapoana (SFI), no Norte Fluminense, disponibilizou dois coletores na área central: a sede da Secretaria Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Humano (SMTDH) e a Escola Irmãos em Cristo.

“Assim, nós conseguiremos facilitar o acesso da população ao descarte correto e sustentável do óleo de cozinha. É significativo lembrar que a cada dois litros de material recebido, o morador recebe um vidro de detergente”, afirmou a secretária municipal de Meio Ambiente, Luciana Soffiati. Ela lembrou que o óleo deve estar armazenado em garrafa pet, sem adição de água ou restos alimentares.

Todo o material recebido é encaminhado para uma empresa especializada para o tratamento do resíduo, evitando a contaminação do solo e da água.

Conforme levantamento da Sema, de janeiro até esta terça-feira (17), 1.521 litros de óleos foram coletados. Segundo o órgão, novos locais estratégicos para disponibilização de coletores estão sendo analisados.

ANÚNCIO
ANÚNCIOS

Índice de reciclagem de latas de alumínio chega a 99% e Brasil se destaca como recordista mundial

Índice de reciclagem de latas de alumínio chega a 99% e Brasil se destaca como recordista mundial

Entre 2019 e 2021, a reciclagem de latas proporcionou redução de 70% no consumo de energia, 65% no consumo de água e queda de 70% nas emissões de gases de efeito estufa

O Brasil é recordista mundial no recolhimento e reciclagem de latas de alumínio. Em 2021, 98,7% das latas comercializadas em todo o país foram reutilizadas, o maior volume da história. Para se ter uma ideia da grandiosidade dos números, das mais de 414 mil toneladas de latas comercializadas, 409 mil toneladas foram recicladas.

“É um sistema que funciona e inspira outros sistemas a melhorarem também”, afirma o secretário de Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, André França.
Os excelentes resultados atingidos pelo setor foram divulgados na última semana, durante evento promovido pelo Ministério do Meio Ambiente em que foram anunciados recordes no âmbito da logística reversa.

Para cada um quilo de lata reciclada são poupados cinco quilos de bauxita, mineral utilizado para a produção de alumínio. Somente em 2021, foram economizados dois milhões de toneladas de bauxita. Benefícios que não param por aí. Entre 2019 e 2021, a reciclagem proporcionou uma redução de 70% no consumo de energia, 65% no consumo de água e queda de 70% nas emissões de gases de efeito estufa.

Renato Paquet, secretário-executivo da Recicla Latas, destaca que a reciclagem da lata de alumínio é referência no Brasil e no mundo, com o aperfeiçoamento contínuo do sistema de logística reversa. “Em cerca de 60 dias, uma latinha pode ser comprada, usada, coletada, reciclada, virar latinha de novo ou voltar ao supermercado. Podemos afirmar que o Brasil é exemplo para o mundo e a indústria da lata de alumínio para bebidas contribui para a descarbonização e a economia de energia, dentre tantos outros benefícios ambientais e sociais”, aponta Paquet.

Atualmente, o Brasil conta com 36 centros de coleta mantidos pelo setor, atendendo 100% do território nacional. Os locais garantem a destinação adequada de toda sucata para a reciclagem. Mais de 800 mil catadores de materiais recicláveis são beneficiados com o programa de logística reversa de latas de alumínio e gerando renda de mais de R$ 5 bilhões por ano.

ANÚNCIO

Logística reversa de latas de alumínio

Em 2020, a assinatura de um acordo entre o Ministério do Meio Ambiente com a Associação Brasileira do Alumínio (Abal) e a Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas) ampliou a coleta e permitiu um aumento nos números de reciclagem de latas. A ação definiu novos desafios para o setor com um importante apoio para os catadores que trabalham na cadeia de reciclagem, determinando às indústrias de reciclagem a compra das latas coletadas a preço de mercado.

O termo de compromisso determinou ainda a criação de uma entidade gestora, com o lançamento no Brasil do programa Cada Lata Conta; a modernização, centralização e transparência nas informações sobre o processo de coleta e reciclagem; o fortalecimento das metas de reciclagem no setor em 95%; a facilitação da chegada das latinhas aos centros de coleta e parceiros pelo País; investimentos em educação ambiental e financeira para melhorar renda e condição de vida dos catadores; e o desenvolvimento de ações tecnológicas para aumento da produtividade.

ANÚNCIO
ANÚNCIOS

Como a reciclagem ajuda a reduzir a poluição?

Como a reciclagem ajuda a reduzir a poluição?

Quase tudo o que fazemos, cada produto que usamos e onde quer que vamos, nos leva a poluir o meio ambiente de uma forma ou de outra. A condução polui o ar, o envio de resíduos para aterros polui o ar e a terra, e o cultivo de alimentos usando fertilizantes e pesticidas envenena as águas subterrâneas e os corpos d’água circundantes.

Uma das maneiras mais fáceis de reduzir a poluição é a reciclagem. A reciclagem converte os resíduos em novos materiais e objetos. É uma parte vital da limpeza do meio ambiente. Este artigo analisa como a reciclagem pode ajudar a reduzir a poluição.

Como a reciclagem ajuda a reduzir a poluição?

1. Uma redução geral nos níveis de poluição
De acordo com uma pesquisa da University of Central Oklahoma, a reciclagem de papel reduz a poluição do ar em 73% e a poluição da água em 35%. A reciclagem do aço reduz 97% dos resíduos de mineração produzidos pela fabricação de recursos virgens e reduz em 86% e 76% a poluição do ar e a poluição da água, respectivamente. Além disso, o uso de vidro reciclado diminui os resíduos de mineração em 80% e a poluição do ar em 20%.

2. Protege os ecossistemas
A reciclagem reduz a necessidade de cultivar, colher e extrair matérias-primas da terra para produtos adicionais. Isso, portanto, diminui a perturbação prejudicial e os danos causados ao mundo natural. Isso significa que menos florestas serão derrubadas, animais selvagens serão menos prejudicados ou deslocados, não haverá mais desvio de rios e, como tal, menos poluição do solo, da água e do ar. Além disso, se mais plásticos forem reciclados, menos deles chegarão às águas do oceano, prejudicando a vida marinha

3. Economiza energia
Fazer produtos a partir de materiais reciclados requer menos energia do que fazê-los usando matérias-primas. A enorme diferença de energia significa menos poluição. Por exemplo, a produção de alumínio novo a partir de produtos antigos, como latas recicladas e papel alumínio, usa 95% menos energia do que fazê-lo do zero. O número é de 70% em relação ao aço. Economizar energia significa menos tensões na rede elétrica, o que significa que menos carbono é emitido na usina como resultado do consumo de muita energia

4. Reduz a demanda por mais matérias-primas
Como já mencionado, a reciclagem reduz a necessidade de cultivar, colher e extrair matérias-primas da terra para produtos adicionais. Como tal, se mais for reciclado, as matérias-primas das quais esses produtos são extraídos não serão tocadas por um bom tempo.

É isso que significa uma redução na demanda por mais matérias-primas. Quando essas matérias-primas, como as florestas são caçadas, as pessoas vulneráveis que vivem ao lado delas também sofrem, sem esquecer os sistemas fluviais correspondentes.

5. É melhor do que coletar resíduos
Os aterros sanitários podem ser capazes de acomodar uma grande quantidade de resíduos que foram jogados fora lá. Eles também podem eliminar muitos resíduos do que uma empresa de reciclagem pode ao reciclar resíduos. No entanto, a reciclagem significa que um novo produto é obtido a partir do lixo de outro.

Os aterros sanitários, antes de ajudarem um produto a se decompor, podem levar muito tempo. Ao mesmo tempo, permitirão a lixiviação que contaminará ou poluirá os corpos d’água. Também resulta na produção de gases nocivos como o metano, poluindo o ar. Tudo isso é evitado se você decidir reciclar.

6. Preserva os recursos naturais
O objetivo de evitar a poluição é preservar os recursos naturais. A reciclagem é uma ferramenta maravilhosa que fará novos produtos e, ao mesmo tempo, evitará a poluição, conservando os recursos naturais. Por exemplo, a reciclagem de papel e madeira salva árvores e florestas.

Reciclar plástico significa criar menos plástico novo, o que é benéfico para o meio ambiente, especialmente porque os plásticos são feitos de hidrocarbonetos, que poluem terrivelmente o meio ambiente. A reciclagem de metais também pode resultar em menos necessidade de mineração e extração arriscada, cara e prejudicial de novos minérios metálicos.

Quem mais contribui para a poluição?

1. Plantas industriais e atividades de fabricação
As emissões dessas plantas devem ser os maiores culpados de poluir o meio ambiente. Indústrias como curtumes, fundição de chumbo, mineração e processamento de minério e fabricação de produtos químicos e produtos são poluentes gigantes. A maioria processa matérias-primas para obter o produto final, através do uso de produtos químicos tóxicos que contêm elementos tóxicos como cádmio, chumbo, cromo e mercúrio.

Quando esses poluentes chegam às águas subterrâneas e ao solo, contaminam a água que bebemos e os alimentos que comemos. Os subprodutos desses processos de produção incluem gases nocivos, como monóxido de carbono, dióxido de carbono e dióxido de enxofre, que têm efeito estufa.

Além disso, poluem o ar e podem contribuir para a baixa visibilidade. Alguns desses gases também são prejudiciais se inalados e também podem produzir chuva ácida, que afeta tudo o que toca, incluindo a vida marinha.

2. Combustão de combustível fóssil
A combustão de combustíveis fósseis é a principal razão pela qual temos nuvens de smog e má qualidade do ar nas áreas urbanas. Essa combustão é feita em usinas de energia que usam combustíveis fósseis para gerar calor e emissões de carros e outros veículos. O resultado é monóxido de carbono, óxido de nitrogênio, chumbo, partículas de poeira e compostos orgânicos voláteis (COVs) que, quando liberados no ar, criam nuvens de smog.

Os veículos motorizados são responsáveis por cerca de 75 % da poluição por monóxido de carbono nos EUA, com a indústria de transporte causando 14% das emissões de gases de efeito estufa em todo o mundo. Os países de baixa renda também queimam carvão e madeira, resultando em monóxidos e dióxidos de carbono e partículas de poeira.

3. Agricultura
Este é outro contribuinte significativo para a poluição no mundo. O cultivo de culturas requer o uso de pesticidas e fertilizantes que envenenam lentamente o solo. Eles também sorvem subterrâneos e envenenam reservatórios de águas subterrâneas e rios. A pecuária também exige muito dos escassos recursos hídricos, pode resultar em sobrepastoreio e é a razão pela qual a maioria das florestas está sendo derrubada.
Elevá-los também resulta em poluição do ar. Por exemplo, a criação de gado para alimentação emite 5% de todas as emissões de gases de efeito estufa, pois libera grandes quantidades de metano na atmosfera. O gado é a espécie animal responsável por mais emissões, representando cerca de 65% das emissões do setor pecuário.

4. Humanos
Como podemos esquecer o impacto que os seres humanos têm sobre o meio ambiente? Os humanos, em sua exploração, criaram todas essas tecnologias que, embora nos beneficiem, estão afetando o meio ambiente. Não nos esqueçamos dos aterros sanitários, onde adoramos depositar qualquer lixo que tenhamos. Os aterros sanitários crescem diariamente e mais resíduos são enterrados no subsolo.
Embora os aterros sanitários devam ajudar o lixo a se decompor, a verdade é que nem todo lixo se decompõe sozinho, mesmo por alguns séculos, como o plástico. Os aterros sanitários emitem metano como subproduto do processo de decomposição, que é um gás de efeito estufa, cerca de 30 vezes mais potente que o dióxido de carbono quando se trata de reter calor. Os resíduos em decomposição também podem se infiltrar nos córregos das águas subterrâneas e contaminar a água doce e potável.

A reciclagem pode reduzir a poluição do ar?

Certamente! A reciclagem reduz a quantidade de resíduos enviados para incineradores. A incineração produz emissões que contêm metais pesados e dioxinas nocivas que são responsáveis pela chuva ácida e pelo aquecimento global. A fabricação com materiais reciclados economiza energia, água e produz menos poluição da água e do ar.

Ao economizar energia, a reciclagem reduz a poluição do ar causada pela queima de combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás natural, que contribuem muito para a maior quantidade de energia gerada. A reciclagem também melhora a qualidade do ar, reduzindo a demanda de energia.

A reciclagem reduz as emissões de gases de efeito estufa equivalentes a tirar cerca de 5 milhões de carros das ruas, e o papel reciclado produz 73% menos poluição do ar do que quando feito a partir de matérias-primas. A reciclagem, de fato, ajuda o ar a permanecer saudável. O DEP da Pensilvânia , em 2005, disse que a reciclagem reduzia os gases de efeito estufa no equivalente a 9 milhões de toneladas de dióxido de carbono. Tal redução é atribuída ao fato de que a reciclagem reduz a necessidade de queima de combustíveis fósseis, como gasolina, carvão e diesel.

A reciclagem pode reduzir a poluição da água?

Sim! A reciclagem pode ajudar a reduzir a poluição da água. O conceito por trás da reciclagem é fazer novos produtos a partir do conteúdo antigo e reciclado. Ao fazer isso, o processo usa menos água do que fazer os mesmos produtos do zero. Ao reduzir o número de produtos que precisam ser feitos do zero, você pode ajudar a reduzir a quantidade de poluição da água industrial que é criada.

Além disso, de acordo com a National Geographic, 91% do plástico não é reciclado, apesar de o plástico ser o maior inimigo da água do oceano. A reciclagem ajuda a manter esses plásticos fora do oceano e reduz a quantidade de plástico ‘novo’ em circulação.

O lixo eletrônico, que é um dos tipos de lixo que mais crescem, contém mercúrio, chumbo e outras toxinas que podem vazar dos aterros sanitários e entrar nas fontes de água locais. Os aterros sanitários são conhecidos por liberar algumas dessas toxinas e muito mais em águas subterrâneas e corpos de água próximos, como rios.

Eles, portanto, envenenam a água e podem infectar muito mais pessoas. A reciclagem garantirá que esses vazamentos sejam corrigidos e a água esteja protegida contra contaminação. Há uma infinidade de empresas que estão ajudando na reciclagem de lixo eletrônico, ajudando a salvar o meio ambiente.

A reciclagem pode reduzir a poluição do solo?

Obviamente sim! O termo ‘aterros’ significa que algo é preenchido em terra e, neste caso, resíduos. O Stanford Recycling Center explica que cada americano joga fora 7,5 libras de lixo, a maioria dos quais acaba em aterros sanitários, ocupando muita terra. Os aterros sanitários devem reter os resíduos pelo maior tempo possível, mas, ao mesmo tempo, esses resíduos poluem a terra.

Para reduzir a poluição de resíduos sólidos em terra, a reciclagem ajuda muito. Ao reciclar, você estará reduzindo a quantidade de resíduos que vão para aterros sanitários, assim como o meio ambiente em geral. A EPA dos EUA estima que, quando uma empresa recicla 1 tonelada de papel, economiza o equivalente a 17 árvores.

A reciclagem pode reduzir a poluição do plástico?

É claro que a reciclagem reduz a poluição plástica. Como já mencionado, a reciclagem ajuda a manter os plásticos fora dos oceanos e reduz a quantidade de plástico ‘novo’ em circulação. O plástico é a principal fonte de resíduos nos oceanos e a reciclagem significará menos plásticos nesses corpos de água e, portanto, menos efeitos na vida marinha.

Apenas menos de 14% das embalagens plásticas são recicladas e mais precisa ser feito. Escolha colocar as embalagens plásticas na lixeira e não no lixo. Sempre que possível, evite-os ao máximo e, se isso não for possível, reutilize-os o máximo possível, antes de jogá-los na lixeira.

Os plásticos levam um tempo ridiculamente longo para se decompor e, portanto, despejá-los em aterros sanitários, condena esse pedaço de terra a séculos de resíduos plásticos que nunca se decompõem. A reciclagem diminuiria, portanto, a poluição plástica ou o lixo e, portanto, economizaria ao meio ambiente alguns anos de decomposição. As sacolas plásticas têm um jeito de se encontrar em animais marinhos, como peixes e tartarugas. Reciclá-los significa que mais desses seres sobreviverão, se reproduzirão e o meio ambiente será melhor.

Fonte: https://www.conserve-energy-future.com

Você pode reciclar fones de ouvido?

Você pode reciclar fones de ouvido?

O mundo está ficando sem fio – ninguém pode contestar isso. Lembre-se de que houve um tempo em que precisávamos de alto-falantes para curtir nossa música. Em seguida, mudamos para fones de ouvido que precisavam ser conectados a uma caixa de música. Agora, temos pequenos fones de ouvido que produzem música alta e não adulterada.

Existem muitas marcas à sua escolha e cada uma atende adequadamente aos requisitos estéticos e funcionais. Anualmente, essas marcas lançam atualizações que parecem ser muito melhores do que as versões anteriores. Obviamente, a durabilidade é cada vez mais impressionante a cada lançamento.

Mas, novamente, somos constantemente lembrados de que essas são simplesmente tecnologias e não podem durar para sempre. Portanto, eventualmente teremos que substituí-los quando atingirem o pico de sua expectativa de vida.

Quando seus fones de ouvido atingem esse estágio, o que você faz com eles? Você considera a reciclagem? Se você fizer isso, você realmente pode reciclar os fones de ouvido? Os fones de ouvido antigos são recicláveis?

Fones de ouvido antigos são lixo eletrônico. Você pode não estar familiarizado com esse termo, mas não é complicado. Qualquer dispositivo que exija eletricidade para funcionar é considerado lixo eletrônico quando estraga. Contanto que você precise conectá-lo a uma tomada, não importa o quão raro seja, esse item se torna lixo eletrônico quando você precisa descartá-lo.

Agora, você pode reciclar fones de ouvido? A maioria das regiões faz provisões para a reciclagem de lixo eletrônico. Às vezes, existem lixeiras especiais para reciclagem onde você pode colocar seu lixo eletrônico e incluir seus fones de ouvido antigos. Na maioria das vezes, há um local específico para devoluções ou dias para coletas gerais.

Mas lembre-se de que o centro de reciclagem local provavelmente não reciclará esses materiais. O lixo eletrônico requer um processo de reciclagem especial e um centro de reciclagem típico pode não lidar com os aspectos desafiadores. Assim, todos esses gadgets serão levados para uma empresa de reciclagem especialmente projetada para a reciclagem de lixo eletrônico.

No entanto, seu município pode não tomar providências para a reciclagem de fones de ouvido e outros resíduos eletrônicos.

Então, se isso não acontecer, quais são suas outras opções? Bem, você pode usar a internet para encontrar uma empresa que recicla lixo eletrônico. Eles estão se tornando comuns rapidamente, o que significa que não serão difíceis de encontrar. Ao encontrar um, você mesmo terá que deixar os fones de ouvido ou solicitar um serviço de coleta. Se você optar pelo último, poderá ser obrigado a pagar uma taxa substancial pelos serviços.

Por outro lado, você também pode optar por reciclar seus fones de ouvido antigos em uma loja de ferragens. Os funcionários de lá vão olhar para os fones de ouvido e ver se realmente precisa ser condenado. Se for, eles o incluirão em seus materiais recicláveis. Por ser uma loja de ferragens, provavelmente haverá disposições especiais para a reciclagem de lixo eletrônico.

Os fones de ouvido podem ser consertados?

Se você acabou de gastar uma quantia considerável em fones de ouvido, pode ser decepcionante se eles apresentarem defeito. Mas, ao mesmo tempo, mesmo que você já tenha os fones de ouvido por muito tempo, ainda se sentirá infeliz quando eles estragarem.
Você pode resgatar a condição anterior ativando sua garantia, que pode se estender de meses a anos. No entanto, se você tiver os fones de ouvido por um período significativo, a garantia se tornará inútil neste caso.

Então, você pode consertar os fones de ouvido? Absolutamente. Qualquer loja de áudio e eletrônicos pode fazer reparos nos fones de ouvido. No entanto, observe que, às vezes, uma conexão inadequada, acúmulo de sujeira, cabo ou falha do conector do cabo V pode resultar em fones de ouvido com defeito.

Como tal, antes de iniciar sua busca por uma oficina, você pode fazer algumas investigações menores para a origem da falha. Comece ligando e desligando os fones de ouvido e, em seguida, coloque-os no ouvido.

Você também pode tentar aumentar o volume – pode ser que o volume tenha diminuído desde então. Acredite, esses erros acontecem. Você também pode tentar limpar os fones de ouvido; às vezes, o acúmulo de sujeira pode entupir os fones de ouvido e impedir que funcionem corretamente.

Outra coisa que você precisa verificar é a conexão Bluetooth. Certifique-se de que está conectado à fonte correta. Você também pode tentar conectar seus fones de ouvido a outra fonte de música.

Depois de tentar todas essas etapas, se os fones de ouvido ainda se recusarem a ligar ou funcionar corretamente, você pode visitar uma oficina.

Você pode jogar fones de ouvido no lixo?

Muitos de nós já estão acostumados a jogar nossos resíduos no lixo. É bastante normal também, considerando que uma grande porcentagem de nosso lixo doméstico pode ir para o lixo.
Porém, pelo bem do meio ambiente, devemos prestar mais atenção ao descarte de resíduos. Nos últimos séculos, registrou-se um acúmulo de resíduos não biodegradáveis e nocivos, e uma grande porcentagem deles em nossos aterros.

Além de ocupar um espaço significativo nesses aterros, muitos desses materiais também liberam toxinas prejudiciais durante a decomposição. Como tal, o solo, nossos corpos d’água e a atmosfera são todos afetados por nossas opções de descarte de resíduos. É por isso que está se tornando cada vez mais importante que descartemos nossos resíduos de maneira adequada.

Você pode jogar seus fones de ouvido no lixo, mas não recomendamos essa opção porque alguns fones de ouvido contêm componentes tóxicos. Por exemplo, o cloreto de polivinila é um material comum para fones de ouvido e é prejudicial ao meio ambiente, especialmente quando está em decomposição.
Claro, você também deve saber que a maioria dos fones de ouvido é feita de plástico, e o plástico leva de décadas a séculos para quebrar completamente. Quando o processo for concluído, alguns microplásticos residuais permanecerão no solo, o que pode ser perigoso para o meio ambiente.

Esses microplásticos também são fáceis de transportar e você pode movê-los por quilômetros simplesmente pisando neles. Portanto, eles não limitam a destruição que podem causar apenas ao solo nos aterros sanitários – estende-se a quilômetros e quilômetros de distância.
Como existem opções de reciclagem facilmente acessíveis, é melhor utilizá-las totalmente. Por exemplo, você pode descartar seus fones de ouvido antigos na lixeira de sua comunidade em vez de jogá-los no lixo.

Fones de ouvido são ruins para seus ouvidos?

A música parece melhor quando está no volume mais alto. Então, você pode realmente ouvir cada batida e cada instrumento da música. No entanto, esse hábito pode enfraquecer seus tímpanos e danificá-los com o tempo.

É ainda pior quando você usa fones de ouvido para esse feito. Os fones de ouvido colocam música diretamente em seus ouvidos porque são pequenos o suficiente para caberem neles. Não há acolchoamento entre as orelhas e os fones de ouvido, o que aumenta as chances de prejudicar a audição com o tempo.

Além disso, você desliza os fones de ouvido. Eles são pequenos o suficiente para caber, tornando possível empurrar a cera para trás em suas orelhas.

Normalmente, você não deve limpar seus ouvidos porque a cera de ouvido escorre com o tempo. No entanto, usar fones de ouvido regularmente não só deixará espaço para a cera fluir, mas também pode empurrá-los para dentro dos ouvidos e causar alguns bloqueios problemáticos à sua audição.

Então, é claro, você terá que aumentar o volume para ouvir sua música, e o ciclo vicioso continuará. Outro problema é a sujeira e as bactérias que os fones de ouvido podem colocar em seu ouvido. Usar fones de ouvido não é um problema, mas o uso regular pode causar traumatismo auditivo e dores.

Como você descarta os fones de ouvido?

Apesar das inúmeras inovações que os fones de ouvido oferecem, eles ainda são bastante suscetíveis ao desgaste. Nós os usamos com frequência, às vezes todos os dias.
Como tal, eles podem ter uma vida útil curta, então teremos que considerar métodos de descarte adequados para eles.

1. Doe-os
Às vezes, queremos apenas um upgrade. Por exemplo, talvez você esteja de olho no último lançamento de fones de ouvido da Apple e adoraria se desfazer do antigo para abrir espaço para essa possível adição.

Como tal, o antigo ainda pode estar em excelentes condições. Bem, neste caso, você pode doar! Você certamente fará alguém feliz, então se sentirá bem consigo mesmo.
Existem centros locais de doação para os quais você pode levar os fones de ouvido. Alguns podem até lhe dar um recibo de declaração de impostos. Mas, primeiro, considere seus amigos e familiares. Mas é claro, os fones de ouvido devem estar em condições melhores do que a média. Portanto, limpe-os adequadamente se for necessário.

2. Venda-os
Você sabe, você também pode vender seus fones de ouvido antigos. Vários centros online trazem compradores e vendedores de itens usados. Você pode verificar no Mercado Livre, Amazon e outro markteplace.

Por outro lado, você pode visitar qualquer loja que venda ou conserte gadgets. Às vezes, eles aceitam gadgets usados por um preço razoável. Você também pode ter a sorte de adicionar uma taxa substancial para obter os novos fones de ouvido que está de olho.

3. Repare-os
Às vezes, condenamos nossos itens porque pensamos que eles estão danificados e não podem ser reparados. Mas é claro que, com mais frequência do que agora, estamos errados sobre isso. Novamente, alguns fones de ouvido custam uma quantia substancial de dinheiro, especialmente aqueles de marcas como Apple e Samsung.

Então, em vez de jogá-los fora, você pode tentar consertá-los. Visite a loja de ferragens mais próxima e pergunte se os fones de ouvido não estão danificados e não podem ser reparados. Não custará tanto consertá-los quanto custaria um novo.

4. Recicle-os
Finalmente, se todas as outras opções falharem, esta é sua melhor aposta! Ele também é ecologicamente correto, portanto, ajuda você a descartar seus fones de ouvido sem se sentir culpado por contribuir ativamente para os danos ambientais.

Suponha que sua comunidade seja uma daquelas que faz provisões para o descarte adequado de lixo eletrônico, então bom para você! Você pode levar os fones de ouvido lá. No entanto, se não houver disposições para o descarte adequado do lixo eletrônico, você terá que usar a Internet para encontrar uma empresa que recicle o lixo eletrônico. Isso porque um centro de reciclagem típico não pode reciclar lixo eletrônico – ele requer um processo especial e mais maquinário técnico. Você tem a opção de solicitar uma coleta ou entrega.

Conclusão
Os fones de ouvido fornecem música de qualidade diretamente aos seus ouvidos. Portanto, não é de admirar que eles sejam tão amados. Mas, novamente, eles podem ser muito frágeis, o que significa que a maioria deles é suscetível a danos. Como tal, o seu pode ter dificuldade em chegar ao fim da sua vida útil. Agora, quando isso acontecer, você precisa considerar maneiras ambientalmente sensíveis de descartá-los.

Fonte: www.conserve-energy-future.com

Os 4 R’s da sustentabilidade

Os 4 R’s da sustentabilidade

Os 4 R’s da sustentabilidade consiste em ações que reduzem o impacto de más atitudes dos seres humanos sobre o planeta: Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Repensar.

A crise ambiental já é uma realidade. Os recursos naturais, a cada dia que passa, se tornam mais escassos uma vez que o ser humano segue, irresponsavelmente, retirando do meio ambiente insumos vegetais, animais, minerais para gerir  a manutenção da sociedade e do capitalismo.

Essa preocupação com o meio ambiente já é amplamente discutido. A Conferência  das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente – RIO 92 criada com o propósito de aliar “proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica”. O resultado desse encontro foi sintetizado ao máximo em quatro palavras-chave: Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Repensar.

Os 4 R’s da sustentabilidade consistem em ações que reduzem o impacto de más atitudes dos seres humanos sobre o planeta. Trazendo a teoria para a prática cotidiana, você poderá perceber que o sucesso da sustentabilidade começa com os pequenos atos dos cidadãos.

Reduzir

O primeiro dos R’s dela é “Reduzir”, pois ao analisarmos aquilo que adquirimos de uma maneira mais crítica tudo que adquirimos a quantidade de resíduos para lidarmos no final das contas será menor. Esse é o primeiro passo do consumo consciente, reduzir a quantidade de resíduos produzida.

O consumo consciente e a economia de recursos naturais são os pilares do Reduzir. Se nos atentarmos nas compras que realizamos no dia a dia e nos serviços que escolhemos contratar poderemos perecer muitas coisas que não precisamos ou que usamos poucas vezes.

Quando falamos de reduzir existem muitas maneiras práticas de por em prática essa filosofia. Começando pelo lixo que produzimos em nossas casas. Ao realizar atividades como caminhar e pedalar ao invés de utilizar veículos que utilizam combustíveis, dar preferência a itens que durem mais, substituir as sacolas de plástico por uma sacola ecológica, economizar água e energia, entre outros, estamos reduzindo o nosso consumo e consequentemente a geração de lixo.

As indústrias são as primeiras responsáveis pela redução de resíduos gerados podendo desempenhar um papel importante na redução através da adoção de novos processos e tecnologias menos poluentes e que utilizem a matéria prima de maneira integral. Cabe aos consumidores apoiarem as empresas que optam por atitudes sustentáveis e ao governo fiscalizar as atividades indústrias a fim de garantir a manutenção saudável do meio ambiente.

Reutilizar

O segundo “R” é o Reutilizar. Tudo que é fabricado necessita do uso de energia e matéria-prima, assim, ao jogarmos algo no lixo, desperdiçamos a energia que foi usada na fabricação. Ao reutilizarmos damos um novo propósito a energia investida para produzir um objeto.

Muito do que descartamos poderia ser reutilizado para outros fins. Antes de descartar algum material, é preciso analisar se ele pode ser reutilizado – muitas vezes, com uma função totalmente diferente. Utilize a criatividade.

Boa parte do que consumimos pode ser reutilizado. É possível reutilizar as cascas de frutas ou legumes danificados para compor o solo. Utilizar rascunhos e embalagens para guardar um novo produto. Potes e garrafas pet podem ser utilizados como vasos de plantas. Aumentar a vida útil de livros, jornais e revistas, trocando-os com amigos. Usar a impressão dos dois lados do papel. Entre outras infinitas maneiras de dar um novo começo a algo que seria descartado.

 

 

Reciclar

O terceiro “R” é o Reciclar. A reciclagem é um processo que permite transformar materiais já utilizados em outros para nova utilização.  Reciclar consiste em converter um objeto usado em um novo produto, tem por finalidade a recuperação das estruturas de determinado objeto a fim de reintroduzi-lo em um novo ciclo. Essa prática promove a economia de recursos naturais uma vez que diminui a  matéria-prima retirada da natureza.

O primeiro passo é proceder à coleta seletiva em sua casa, separando o lixo orgânico do reciclável. Dessa forma, encaminham-se os resíduos para destinos corretos, de acordo com o tipo de material (vidro, papel, plástico, metas e orgânicos). Uma dica muito importante é também separar as pilhas, medicamentos e materiais de limpeza.

Processo de reciclagem  é considerado como “ganha-ganha”, isto é, tanto a população quanto o meio ambiente são fortemente beneficiados. Ao reciclar geramos ganhos financeiros e novos empregos, além de que a prática de reciclagem contribui positivamente para a redução do volume de lixo que vai para os aterros sanitários.

 

Repensar

O quarto dos R’s é o Repensar. Corresponde à atitude que tomamos e que tem consequência direta em nossas vidas e ao meio ambiente. Vai além do consumo, parte de nós e como podemos enxergar o mundo que vivemos. Questionar qual o nosso impacto no nosso planeta e sociedade em vários espectros. 

 

Assim, deve-se sempre reavaliar e mudar a postura perante a maneira como estamos vivendo. Questionar é sempre uma ótima opção. Se perguntar coisas básicas como se: os gastos com a energia são compatíveis com minhas necessidades? Consumo só o que preciso? Estou comprando isso por impulso? Poderia fazer esse percurso a pé? Não se trata de deixar de fazer as coisas, mas sim de fazer de uma maneira que melhore a qualidade de vida e respeite o meio ambiente.

Repensar nos permite reavaliar nossas atitudes e tomar melhores decisões sobre meio ambiente e hábitos de consumo; refletir antecipadamente a uma decisão que estamos prestes a tomar podendo dar a ela a melhor resolução ou alterá-la se julgarmos necessário com base nas possíveis consequências. Dessa maneira podemos avaliar as condições e colocar em prática todos os outros R’s.

O conjunto dos 4 R’s da sustentabilidade são chaves para refletirmos como nossas atitudes podem impactar no meio ambiente. Ainda mais, podemos perceber como as empresas e grandes produtores se portam perante o meio ambiente e assim optar por consumir e apoiar aqueles que tomam medidas adequadas e que respeitam o meio ambiente como um todo.

 

 

Reciclar é necessidade para a busca da qualidade de vida

Crianças reciclando

Reciclar é necessidade para a busca da qualidade de vida

A produção de lixo não para de crescer dentro das casas, comércios e industrias, seja dos materiais que são embalados os alimentos, das sobras de comidas, dos processos industriais, ou mesmo, de produtos que quebram e não funcionam mais. Necessidade, essa palavra define bem o caminho que a reciclagem vem percorrendo ao longo das décadas, as montanhas de lixo sem triagens já não existem tanto, principalmente pelas questões ambientais, mas também porque a reciclagem gera emprego e renda para milhares de famílias.

Na ponta do lápis a reciclagem é um processo de reaproveitamento de inúmeros materiais, todo o processo de beneficiamento vem melhorando, mas precisa ainda de mais tecnologia e matéria prima para deslanchar. Importante destacar que o principal objetivo é reintroduzi-los na cadeia produtiva, para que gerem valor e sejam reutilizados, reduzindo a produção de lixo, e aumentando a preservação dos recursos naturais. Reciclagem é sustentabilidade.

Os ideais da reciclagem são essenciais no dia a dia, mas ainda existe um grande caminho a ser percorrido, porque muita gente ainda não separa o lixo, dando mais trabalho aos catadores de rua, muitas vezes inutilizando alguns materiais que não podem ser molhados, por exemplo. É preciso a mudança de hábito, o incentivo dos governos e empresas, também faz diferença nesse processo de educação ambiental.

Crianças reciclando
Reciclagem em números

O Brasil é o maior reciclador de latas de alumínio do mundo. Porém, de acordo com dados da Associação de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, ABRELPE, num volume de 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos, 30% possui valor agregado e potencial para retomar a cadeia de produção como matéria prima, só que apenas 3% está sendo reciclado. Ainda existe muita coisa para ser reciclada no país, boa parte acaba sendo enterrada em grandes aterros sanitários.

A coleta seletiva que deveria ser incentivada pelo poder público é falha em muitos municípios, aqueles que tem podem considerar como luxo. O grande reciclador do Brasil é o catador de rua. Com seus carrinhos buscam em cada canto, qualquer tipo de material reciclável, tem acesso a todo tipo de entulho, por isso, os cuidados com o vidro e a forma de descarte de uma forma geral.

Apenas 1,3% do lixo plástico gerado no Brasil é reciclado, mesmo sendo o quarto produtor desse tipo de resíduo no mundo. Ficando atrás dos Estados Unidos, China e Índia. Das 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos produzidos por ano, 17% são de plástico. A notícia que é para se comemorar é que no ano de 2020, a reciclagem desse material aumentou 15%.

A questão do lixo eletrônico é ainda mais grave, de acordo com a BBC Future, de 45 milhões de toneladas de lixo eletrônico, apenas 20% é reciclado de forma correta. Muito material é enviado ilegalmente para aterros tóxicos em países subdesenvolvidos. O que é um desastre para a contaminação de água e da cadeia de abastecimento de alimentos.

Pensar no futuro

Quando as pessoas jogam lixo no chão, os materiais são arrastados pela chuva e se acumulam nos bueiros. A água não tem pra onde escoar e aumentam as chances de alagamentos e enchentes. As lixeiras são extremamente importantes nas cidades, uma forma de promover o descarte consciente. Em cada atitude de proteção ao meio ambiente, os cuidados com as próximas gerações se multiplicam.

História da reciclagem

Uma pesquisa feita pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mostra que as civilizações antigas já dispunham de sistema de esgoto, além de pavimentação nas ruas. Os israelitas, por exemplo, possuíam regras explícitas de como descartar seus excrementos e os restos dos animais sacrificados, bem como os cadáveres e o lixo produzido no reino.

Na Idade Média, sabe-se que várias cidades italianas tinham normas para a destinação de objetos e carcaças de animais, assim como a eliminação de águas paradas e a proibição de lixo e fezes nas ruas. Neste período, surgiram os primeiros serviços de coleta de lixo

Porém, na segunda metade do século XIX, com a Revolução Industrial, houve um aumento significativo na produção de lixo, causando graves impactos sanitários. Foi necessário programar novas medidas para amenizar a complicada situação dos bairros operários e também dos bairros nobres. A Revolução Industrial trouxe consigo novos patamares de produção e, a partir desse momento histórico, a situação do descarte se tornou algo mais complexo e preocupante. Se antes o lixo era constituído apenas de material orgânico, agora ele tem características diversas: pode ser eletrônico, radioativo, industrial, químico, entre outros.

Para onde encaminhar?

Atenção para as cooperativas de catadores de resíduos que tem em todas as cidades, geralmente elas estão ligadas ao serviço de limpeza de cada prefeitura, que tem como dever incentivar e destinar os matérias através da coleta seletiva. Além disso, o mercado de compra e venda de resíduos está aquecido em muitos municípios. É possível vender materiais como: plástico, papeis, placas eletrônicas, alumínio, ferro, cobre, dentre outros. Todos os materiais são comprados e vendidos pelo peso.

Na dúvida para fazer algumas ações? Então, sigam essas dicas:

– Economize energia elétrica, luz acessa só do cômodo que você está e na tomada apenas aparelhos que estiverem sendo usados.
– Separe o lixo corretamente para que os resíduos sejam reciclados. Importante lavar latas e outros materiais para evitar mal cheiro.
– Ajude a limpar a praia que você tanto usa.
– Que tal plantar uma árvore?
– Fazer um mini jardim também ajuda na cobertura vegetal das cidades.
– Ajudar a limpar uma praça, ou mesmo, outro local público.